ESPOROTRICOSE FELINA: ENTENDA MAIS SOBRE A DOENÇA

28/07/2022

Mas, afinal, o que é a Esporotricose felina e como tratar? A Esporotricose é uma infecção fúngica que pode afetar animais e humanos. Geralmente começa como uma infecção de pele, mas pode se espalhar para os pulmões e outros órgãos se não for tratada. Neste blog, vamos falar mais sobre a Esporotricose felina, suas causas, sintomas e tratamento.

O que é a Esporotricose :

A Esporotricose felina é uma doença causada pelo fungo Sporothrix schenckii. Este organismo causa micoses subcutâneas no gato, em pessoas ou cachorros ao entrar por feridas já existentes na pele ou por espinhos. Por estarem em contato direto com o solo e com plantações de roseiras, eram arranhados constantemente e contaminados pelo fungo. Apesar da incidência em pessoas, a doença afeta predominantemente os felinos e os casos de Esporotricose felina em humanos e em cães são muito menos frequentes.

Principais sintomas da Esporotricose :

Você deve suspeitar que seu bichano contraiu a doença quando perceber alguma ferida na pele, sobretudo próxima ao focinho, que não cicatriza. Os sintomas da Esporotricose em gatos se dão de forma progressiva, ficando mais grave à medida que o tempo passa. É por este motivo que é tão importante que você consulte um veterinário tão logo perceba algum sinal.

  • Febre
  • Falta de apetite e emagrecimento
  • Apatia
  • Problemas no sistema respiratório
  • Além de feridas em várias partes

Como é feito o diagnóstico?

Ao suspeitar dos sinais que indicam a Esporotricose em gatos, marque rapidamente uma consulta com o veterinário. Relate sobre as mudanças de hábito de seu felino, se ele tem contato com terra e plantas, se teve algum desentendimento com outros gatos. Após uma análise clínica, o médico poderá realizar exames laboratoriais, como: Cultura de fungos, que poderá indicar a presença do Sporothrix no sangue Exame histopatológico, que vai avaliar a natureza das lesões nos gatos Exame citológico para investigar possíveis tumores.

Como é feito o tratamento:

Em geral, recomenda-se os seis meses de tratamento, porém, pode ser que a partir de dois meses as feridas na pele já tenham desaparecido completamente. Ao ser diagnosticado, o tratamento para Esporotricose deve durar cerca de seis meses e tem um valor relativamente alto. E o tratamento não pode ser interrompido, caso seja, antes deste período, as feridas podem voltar a se manifestar. É utilizado um antifúngico mensalmente. A dose será determinada pelo veterinário, de acordo com o estágio da doença.

Devo me preocupar?

A Esporotricose felina é uma doença altamente contagiosa. Por isso, assim que o felino recebe o diagnóstico, ele deve ser mantido em uma caixa de transporte, gaiolinha ou um cômodo para receber o tratamento adequado. Esse cuidado é necessário não só para a saúde do animal doente, como também para que a doença não seja disseminada para outros gatos ou até mesmo para os tutores. Mesmo depois que o gato esteja curado clinicamente, o tratamento deve se estender por mais 1 mês. Apesar de ser agoniante ver nosso gatinho restrito a um ambiente, esse cuidado é necessário para que não ocorra uma reinfecção, o que pode alongar ainda mais o tempo em que o animal ficará isolado.

Como prevenir?

Como não há uma vacina para Esporotricose, a melhor maneira de evitar a doença é impedindo que o seu gatinho saia às ruas e tenha contato com gatos doentes. Para isso, a castração é um fator de enorme importância, pois o animal se torna mais dócil e mais caseiro. Além disso, vale destacar a necessidade de uma boa higienização do ambiente onde seu gato circula: Algumas substâncias eliminam os fungos do ambiente, mas é preciso tomar cuidado para não matar plantas.

Neste caso, o melhor é lavar com vinagre, uma ótima forma de acabar com os fungos. Caso seu gato esteja contaminado, sempre que manuseá-lo use luvas e lave bem as mãos. É muito comum que os gatos mordam ou arranhem seus tutores, sobretudo quando se está tratando das feridas, graças ao incômodo. Por isso, tome muito cuidado, pois, como falamos, fungo de gato em humanos transmite doença. Entretanto, a maior parte das doenças pode ser prevenida com idas regulares ao veterinário. Ele identificará com mais facilidade os sintomas do animal, fará o diagnóstico rapidamente e começará o tratamento.

Se você gostou de saber tudo sobre a doença do carrapato, fique ligado no blog e nas redes sociais do Lapavet! Sempre postamos diversos conteúdos e oferecemos atendimento laboratorial veterinário de qualidade para que seu amigo de quatro patas tenha sempre os melhores cuidados possíveis. Aproveite!

#Gatos #Felinos #Esporotricose #EsporotricoseFelina #Cuidadofelino #Cuidadoanimal


Compartilhe nas redes:

Copyright © Lapavet 2022. Todos os direitos reservados.